sábado, 22 de maio de 2010

Cultura Suja - O Astronauta de Marte

Vários personagens saídos de uma mesma face. Essa é a melhor definição de David Bowie. Lançado ao sucesso nos anos 60, o cantor iniciou uma promissora e heterogênea carreira, liderando o movimento "Glam Rock" inglês, que foi adaptado no Brasil pelos "Secos e Molhados". Indo muito além do âmbito musical, Bowie antecipou estilos e idéias transgressoras, se consolidando como um verdadeiro ícone pop e estético.



Durante toda a sua juventude usou alter-egos em cima dos palcos, sempre se servindo da androginia (mistura de características masculinas e femininas em um mesmo indivíduo) e das manifestações teatrais da própria bissexualidade. O principal personagem foi "Ziggy Stardust", encarnado logo no começo da carreira do cantor. A interpretação era tão real que parecia realmente uma pessoa diferente. Bowie dava entrevistas não como ele mesmo, mas como Ziggy, até o dia em que anunciou no palco (através de Ziggy) que não faria mais shows. Esse foi o fim da primeira fase, que rendeu um dos melhores albuns de rock já produzidos: "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars".


A partir daí o cantor flertou com vários outros estilos, incluindo o Soul nos anos 70 e o Pop nos anos 80. Os albuns "Young Americans" e "Let's Dance" são, respectivamente, bons exemplos dessas duas fases. Fez também ótimas parcerias nesse período, lançando o sensacional hit "Under Pressure" junto com o Queen em 1981; e o hit "Dancing In The Sreet", junto com Mick Jagger, boa música que foi transformada em um dos cliples mais bregas que eu já vi. Participou ainda de filmes como "Fome de Viver", interpretando um vampiro com envelhecimento precoce num clima gótico e sensual; e "A Última Tentação de Cristo", polêmico filme de Martin Scorsese onde interpreta Pôncio Pilatos.

Uma outra boa indicação relacionada é o excelente "Velvet Goldmine", filme totalmente inspirado nas origens do movimento Glam e em David Bowie. Com boas músicas fictícias e belas atuações, você poderá entender o universo de criatividade e estímulo a experimentação sexual que começou na Inglaterra dos anos 60. E pra fechar o texto de hoje, indico a coletânea "Best of Bowie", album duplo com os maiores sucessos de todas as fases desse artista de outro mundo.


Link para download do "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars"

Link para Download do "Best of Bowie"

Clipe de "Ashes To Ashes"
video

Arthur Viggi


5 comentários:

  1. ótimo post! conhecendo um pouco mais de david bowie..

    ResponderExcluir
  2. O camaleão marciano neo-esotérico!
    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  3. Foi o incentivo que me faltava pra pegar e conhecer mais David Bowie.

    ResponderExcluir
  4. muito boa esta capa também do Bowie

    ResponderExcluir
  5. Bowie. Sem medo de mudar ou arriscar coisas novas. Acho engraçado quando criticam o trabalho dele dizendo 'não deu certo', 'não foi bem sucedido em tal álbum', 'incompreensível'... Nada contra bandas que continuam igual disco após disco, sou fã de Ramones, poxa. Mas admiro muito o Bowie e a suas tentativas, melhores ou piores em qualidade, mas sempre boas tentativas.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...