segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Culto e Grosso-João amava Teresa que amava João, no contemporâneo isso sim que é contracultura! (e isso sim que é um título longo para um artigo curto



Liberdade é um conceito que gera uma dificuldade de definição numa era de extremos como a nossa. Costuma se confundir muito os polos, e se assumir uma posição positivista em cima do que nos apraz em certos momentos.

Tentarei ser claro neste pequeno artigo sobre as relações amorosas entre humanos, começando por partir o que normalmente se situa como o contrário do ser livre, o ser dependente de contratos sociais.

Um contrato por base seria uma submissão a conceitos estabelecidos em comum acordo, quase visto como uma relação de posse. Costumamos estar entre a abertura e o trancafiamento. Que tal ver estes conceitos de forma mais ampla, como descomprometimento e zelo.

Quando se decide estar com alguém, buscar não ver esta compactuação como um estado de posse, mas sim como uma transcendência pessoal ao zelo a outro ser humano. Em termos mais práticos, monogamia não como posse, mas como aliança.

Contudo quando o homem situa o seu bem nos objetos externos, a imaginação "corrompe os cinco sentidos", e somos conduzidos a um estado hobbesiano de natureza, a um estado de competição culminando na guerra, o contrário do que se busca num bom relacionamento, baseado na confiança e na consciência do bem ao próximo.

Como defensor do egoísmo penso que esta virtude deve ser muito bem pontuada, pois às vezes algo que queremos leva algo que não queremos, e o dano poderá ser maior até para você mesmo.

Poderia se discutir as questões do desejos, mas qual o desejo maior, o de subverter o que se constrói, o palácio de cristal desta pequena entidade que se manifesta num suposto amor, ou a compreensão do próximo?

Desejamos mesmo algo, ou somos egoístas? Creio que muito se vê da segunda opção hoje em dia, mas eu como ser esperançoso na relação fiel ao outro gosto de fugir da descrença na cumplicidade, acreditando em liberdade sem traição, a liberdade mais suprema, aonde estás livre para estar com a outra pessoa.

No filme Magnólia temos o encerramento dado pela proposta 'se você quer estar comigo, esteja comigo'. Quando se forma uma aliança, mesmo não formalizada com alguém, se busca uma dedicação.

A destruição da posse seria justamente a liberdade, a liberdade de se prender em alguém. Somos racionais, a traição é puramente instintiva, queira chamar ela de sentimentos do momento ou desejos vinculados a um bem-estar. Neste caminho podemos defender o 'trair', mas também o 'assassinar'.

Quando se fere alguém, seja com uma traição sentimental, sexual ou apenas comportamental, perdemos o dom de sermos humanos, viramos oportunistas (por favor, não dêem peso a esta palavra aonde não existe peso nenhum, mas sim uma significação puramente ontológica).

Relações dependem de um limite, por mais ilimitadas que sejam, afinal, não podemos atravessar paredes sem destruir a sua base de alguma forma, e então novamente deixamos de ser humanos, e enquanto vivos infelizmente temos alguns limitadores, nem que seja a nossa paz de espírito, e acredito que quando se ama alguém, a nossa paz de espírito está diretamente relacionada com a paz de espírito do próximo, portanto o meu pedido não é nem reacionário, nem promíscuo.

Não venho aqui apresentar métodos a propôr-se um melhor relacionamento, apenas dar a minha visão sobre estas idéias, sendo, como o nome da coluna busca proscrever, culto e grosso (mas com afeto, este que defendo sempre).

Onde existe uma relação, ali ela existe para mim. A consciência é, em princípio, naturalmente, consciência do mundo consequente e sensível que nos rodeia, e consciência dos nexos limitados com outras pessoas e coisas, fora do indivíduo consciente de si mesmo.

Viva como quiser viver, mas não esqueça das alianças, estas que não datam posse, mas sim liberdade (esta que não é uma condição humana, mas uma busca constante nos momentos adequados, e um complacência ao inverso dela em outros).

Enquanto ser social, liberdade é algo que se conquista sem ferir o próximo, e neste caso o que os olhos não vêem, o coração uma hora irá sentir. Aprender a cuidar de quem se quer bem é algo difícil, mas não impossível.

ismael 'Fly' al. schonhorst

sábado, 28 de agosto de 2010

Cultura Suja - Toy Story


Pode parecer infantil, mas não é. Esta trilogia faz parte da vida de uma geração inteira. E o último capítulo foi ótimo. Mais que um filme infantil, Toy Story abriu caminho para a animação nas telonas. Abriu campo para uma nova forma de ver cinema e de fazer cinema. O último capítulo teve ótimas passagens.

Trailer-Toy Story
video
Em uma análise particular, o roteiro do filme lembra um clássico da literatura, escrito por George Orwell: "A Revolução dos Bichos".

O mundo parece perfeito e cheio de possibilidades quando um novo modelo de sociedade pode ser construído. Porém, por mais poético que seja essa idéia, ela não é capaz de suplantar o desejo por poder e status.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Contos Sujos - Decisão - Parte 2


O início da segunda metade do ano em Big City faz a cidade ficar ainda mais cinza. Um vento soprava forte. O ar estava seco e pedia algo quente para beber. Enquanto descia a principal, Tony tomou um cigarro (filtro preto, do tipo mentolado) de dentro de seu capote surrado, acendeu e continuou sua caminhada.

Aquela hora da tarde a rua estava vazia. Caminhou pela avenida 41 e foi em direção ao Muddy`s, uma cafeteria no centro de BC. Pediu um expresso. Tony havia desenvolvido outra habilidade: tomar café sem açúcar.

Enquanto desfrutava do amargor do líquido, dava seus tragos no cigarro e observava o movimento na rua. Um estalo veio em sua cabeça:

-estou no lugar errado. Eu não deveria estar aqui...

Olhou novamente para rua enquanto pensava. Não sentia nada por aquele lugar. Pensou em tudo que havia feito contra sua vontade. Pensou em todas as coisas que tinha que fazer. Pensou em todas que tinha deixado de fazer. Falou quase que sussurrando:

-eu não preciso estar aqui...

Sem que tivesse notado, uma mulher acabara de ocupar o lugar em frente a ele. Tragava um cigarro. A garçonete estava servindo um conhaque. A mulher disse:

-por que está aqui então?
-não sei... – disse Tony sendo pego de surpresa.
-está aqui porque não consegue fugir desta realidade. Quer um conselho? Solte todos os laços...
-você não sabe o que está falando – retrucou Tony
-há algo que você não consegue largar. Se culpar por isso não vai resolver nada. Quer um conselho? Não pense, faça o que acha deve ser feito.

Tony acendeu outro cigarro enquanto tomava seu café. Estava difícil pensar naquela hora. Parecia que um golpe havia lhe acertado a cabeça. Forçou um pouco para tentar raciocinar, mas foi rapidamente vencido.

Pagou a conta, e despediu-se da mulher. Desceu a calçada da principal de Big City e sumiu sem deixar pistas. Alguém o procurou. Por várias vezes o telefone de seu apartamento chegou a tocar. Mas ele não queria ser encontrado. Tony tinha tomado uma decisão sem volta.

Contos Sujos - Decisão - Parte 1


Há muito tempo Tony chegava em casa e não conseguia encontrar paz. Ou melhor, em qualquer lugar em que ele se encontrasse não conseguia encontrar tranqüilidade. Parecia incomodado com tudo. As pessoas lhe incomodavam profundamente.

A forma como encaravam a vida, e faziam das coisas simplesmente... coisas.

Mais do que tudo, tinha asco de consumo. Se sentia mal, oprimido diante de luzes e peças de roupas caras, com marcas de grife. Sua conformidade com o pouco, ou com nada foi cultivada ao longo de longos anos.

Junto, criou uma capacidade quase pessoal de negar qualquer tipo de extravagância. Tinha tudo o que precisava para sobreviver e nada mais. Em seu pequeno apartamento no centro de Big City, poucos móveis.

Um abajur velho iluminava o centro de sua sala. Livros estavam cuidadosamente organizados ao redor de cada cômodo. Muitos livros.

A luz estava sempre a meio tom, quase escuro. Porém, nem aquele que ele considerava como sendo o último de seus refúgios, o tamanho de sua angústia era controlado.

Algo parecia crescer dentro de sua mente, e cada vez mais se tornava incontrolável. Apesar disso, não conseguia decifrar do que se tratava.

continua....

Sujos Factual - Tecnologia de " A Origem"


Se você é fã de tecnologia e ficção científica vale a pena dar um pulo nesta indicação. A técnica utilizada no filme "A Origem" é desvendada. Se é um viral ou não do filme, é difícil dizer.



Vale a pena comentar que uma estratégia semelhante foi utilizada em "District 9", filme produzido por Peter Jackson e dirigido Neill Blomkamp. Durante o período de divulgação, um site foi totalmente construído para espalhar conteúdo relativo ao filme e sobre uma possível invasão de extraterrestres a terra.



Para acessar o conteúdo total clique neste link:
pasivdevice.org

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Sujos Factual - Indicando Moteleiras


O interessante na blogosfera é que você encontra de tudo. De tudo mesmo. Esta semana recebi a indicação do blog moteleiras.wordpress.com. Vale a pena dar um pulo lá e sacar o texto das meninas. Cada postagem analisa a estrutura de um motel diferente. Claro, elas visitaram e utilizaram o serviço. E o texto delas é bem bacana.

Bem escrito, divertido e vai no “útero”. O texto analisa diferentes aspectos, como cama, quartos e higiene, até chegar no tchan da questão: se foi bom ou não. Passa lá que vale a pena.



Acesse aqui: moteleiras.wordpress.com

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Imagem Suja - Suplicy Recomenda


Ok, vamos tentar acreditar que ele não precisava fazer isso.

Suplicy Recomenda: MULHER PÊRA

video

É meu amigo, eleição é eleição e vice-versa.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Culto e Grosso - A Origem


A Origem-Trailer
video

Segunda-feira, dia de começar tudo de novo. Por isso vamos iniciar a semana com o trailer do novo filme de Christopher Nolan, Inception, ou em português “A Origem”.

A tradução não dá conta de explicar o que realmente o filme é. Em uma dimensão de sonhos, Cobb, personagem de Leonardo Di Cáprio, consegue realizar a “inserção” e entrar em mundos paralelos no interior do subconsciente. Faço questão de colocar entre aspas pois o roteiro é complexo.

Não vou soltar nenhum spoiller, e nem pretendo escrever uma resenha sobre o filme, pois não tenho a pretensão de dizer o que realmente é a película.

Mas vendo o filme você irá entender. (diga-se de passagem, Cáprio está muito bem. Cada vez mais ele consegue se distanciar do personagem do Block Buster Titanic e se firmar como um grande ator)


Colocar esta postagem na segunda tem um objetivo. Nos fazer pensar. Pois o filme coloca em questão a nossa capacidade de sonhar, e construir mundos paralelos a partir das nossas necessidades.

Isso, levando em consideração nossa intensa busca por realizar o que supostamente está no plano dos sonhos, e materializar estes anseios no que temos concebido como realidade. Mas quem pode afirmar que é aqui a realidade?E em que parâmetros podemos nos basear para balizar a nossa chamada consciência?

Pode parecer muito doido, mas esta noção está mais baseada em um lugar comum do que propriamente em algum estudo. Vide as religiões que promotem uma outra chance, em um suposto outro mundo, e que desde então pautam a forma de se enxergar a realidade.

Enfim, todas as segundas é hora de repensar. De avaliar o que tem sido feito de certo e o que está errado. De acreditar que na próxima segunda você não vai precisar acordar para trabalhar, e se dar conta que quando você acordar, não se trata de um "sonho".

domingo, 22 de agosto de 2010

Imagen Suja - Winner



Dr. Manhattan, outro personagem de Watchmen parece ser o winner. Apenas parece devido ao seu conflito pessoal de poder tudo e não poder nada. Ao mesmo tempo que, perdeu sua condição humana, ganhou poderes de um semi-deus. E de quebra, com uma cabeça humana, acabou se fechando dentro de sua mente.


Claro, imagine manipular a matéria e saber exatamente o que vai acontecer, enquanto o relógio do tempo (relógio responsável por medir o que podemos chamar de juízo final, porém, comandado pelo homem) marcar quanto tempo falta para a chegada do último minuto do que podemos chamar de “era”.

Mas ainda sim, o herói azul tomou seus caminhos. Diferente do outro azul, o super-homem, o personagem de Watchmen não se concentrou nos problemas da Terra. A problemática discutida foi a de que um homem que tem o poder em suas mãos não vai se preocupar com os outros. Ele já tinha muitos problemas pessoais para resolver... assista por que vale a pena.

sábado, 21 de agosto de 2010

Imagem Suja - Loser



Rorschach é um dos personagens de Watchmen. O que ele parece para você? Um loser? Talvez. Em nenhum momento do filme foi dito que a vida dele foi fácil. Em nem nos quadrinhos. Ele investiga o assassinato de um dos personagens da trama.

O que mais chama atenção na vida de Rorschach (no meu tosco ponto de vista) é que ele não tem amigo, ou ninguém próximo. Tanto o destino do personagem como a sua história são conduzidos por uma concepção própria de justiça.


O mundo é frio. As pessoas que o cercam são frias. Em certo momento ele esquece a piedade por conta das circunstâncias e da forma como a sua vida toma forma. Sim, pode parecer individualista, mas quem nunca pensou em encarar o mundo assim?

Onde todos querem dinheiro e cada vez mais uns pensam menos nos outros. Um anti herói que segue vagando por um mundo que não parece ser o seu. No fim... enfim, assista, por que vale a pena.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Imagem Aqui - Watchmen


Se você não viu ainda, assista. O filme é Watchmen, baseado nos quadrinhos de Alan Moore e Dave Gibbons. Amanhã tem perfil de personagens e um pouco da história deste clássico da DC Comics.

video

Marc Balender

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Culto e Grosso - Mamãe, não quero ser o Mogli! - Post 3


Continuação do post da semana passada com uma grande lista preparada por Flyerz.
Confira:

330,003 Crossdressers from Beyond the Rig Veda - Sun City Girls
Horse Cock Phepner - Sun City Girls
Dante's Disneyland Inferno - Sun City Girls
Meet the Residents - The Residents
Duck Stab/Buster & Glen - The Residents
GodWeenSatan - Ween
Iorxhscimtor - Orthrelm
Nivraym - Koenjihyakkei
Uhrfasudhasdd - Keiji Haino & Tatsuya Yoshida
Autumn Aurora - Drudkh
Sarcast While - Time of Orchids
The String Quartets - John Zorn
Cryptomnesia - El Grupo Nuevo De Omar Rodriguez-Lopez

GodWeenSatan - Ween


Uhrfasudhasdd - Keiji Haino & Tatsuya Yoshida


Meet the Residents - The Residents


The String Quartets - John Zorn


Sarcast While - Time of Orchids


Horse Cock Phepner - Sun City Girls


Iorxhscimtor - Orthrelm


Nivraym - Koenjihyakkei


Dante's Disneyland Inferno - Sun City Girls


Cryptomnesia - El Grupo Nuevo De Omar Rodriguez-Lopez


Autumn Aurora - Drudkh


330,003 Crossdressers from Beyond the Rig Veda - Sun City Girls


Ismael 'Fly' Al. Schonhorst

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...